Arquivo de Tag: violência

As três leis de Newton [conto]

Dr. Carlos tinha uma pele macia, branca, lisa como a camisa de pura seda chinesa que usava. A barba estava sempre feita, e o cabelo curto para o lado, num penteado que nunca… Continuar lendo

Eichmann e a consciência privada – Martha Gellhorn (1962) [tradução livre]

Tradução Livre | Eder Capobianco Publicado originalmente na revista The Atlantic em fevereiro de 1962. Martha Gellhorn, que esteve presente no Julgamento de Adolf Eichmann em Jerusalém, reporta aqui alguns dos fatos e… Continuar lendo

Família Pereira [conto]

Foi um dia duro de trabalho. A obra estava atrasada, e todo o peso dos prazos perdidos incidia na equipe de assentadores de piso. José estava com as costas doloridas de ficar abaixado… Continuar lendo

O passo e a linha [conto]

1° Ato: Anderson, de 19 anos, leva um tiro na perna. O jovem tinha ido comprar, para curtir o fim de semana com os amigos, maconha e pó numa favela da zona oeste,… Continuar lendo

Bem-vindo à selva [conto]

São meia dúzia de pessoas formando um círculo num canto da praça. No meio um homem fala como se estivesse encenando um monólogo, gesticulando e andando de um lado para o outro. ……..servindo… Continuar lendo

Seis [conto]

João, 32 anos, pintor (de parede, não do tipo artista, ou sim, uma vez pegou um enrosco pra fazer. Uma república de estudantes, pintaram qualquer vestígio de branco com frases tipo o que… Continuar lendo

Mulheres [contos] (e-book)

Senhoras e Senhores, o AntimidiaBlog traz para vocês mais uma coletânea com os contos do blog. Aqui está…….. Mulheres (2018) O que as personagens dos 12 contos desta coletânea procuram não é felicidade, a maioria… Continuar lendo

Keep Calm and Work Hard [contos] (e-book)

É com enorme prazer que o AntimidiaBlog oferece aos leitores mais uma coletânea com contos do blog em e-book. Com vocês…. Keep Calm and Work Hard (2018) A tranquilidade de saber que nada será capaz de… Continuar lendo

Queimando no inferno [conto]

O mundo caia em água e Miguel estava na esquina, com um papelão na cabeça e se molhando embaixo de um toldo rasgado. O opalão parou. Ele correu levemente pela calçada e entrou… Continuar lendo