Arquivo de Tag: experimento literário

A batalha permanente [conto]

Naquela altura já não existia mais guerra. A resistência humana tinha sido aniquilada pelas tropas mistas muito antes de alguma batalha começar. Não havia maneira racional de entender como praticamente toda a forma… Continuar lendo

Seis [conto]

João, 32 anos, pintor (de parede, não do tipo artista, ou sim, uma vez pegou um enrosco pra fazer. Uma república de estudantes, pintaram qualquer vestígio de branco com frases tipo o que… Continuar lendo

O chamado [conto]

Um ser humano qualquer, pode ser em qualquer lugar, em qualquer hora, ele abre uma gaveta e, inesperadamente, encontra uma arma, e pega ela. É pesada. Gelada. A sensação é o que pode… Continuar lendo

No auge do anonimato [contos] (e-book)

Em abril de 2017 o AntimidiaBlog completou dez anos no ar. Setembro marca o mês de mudança de plataforma do blog, o que significa cinco anos no WordPress. Este mês o AntimidiaBlog também… Continuar lendo

O homem, a mulher e Matheus [conto]

[00:30] Matheus está na base da escadaria que corta o quarteirão e liga a rua de cima a rua de baixo. Uma mulher começa a descer a escada. Matheus surge no meio do… Continuar lendo

Experiência n°67 [conto]

– Introdução: É feriado. – Objetivo: Ser feliz. – Justificativa: Nenhuma. – Metodologia: Tentativa e erro. Relatório final [6:15] – Início dos procedimentos 250ml da substância 1 administrada na forma líquida. 2g da… Continuar lendo

O fim do mês e a conta na mercearia [conto]

A vida para Eliana parecia ser bastante simples. Ela acordava às 5h, chegava no centro de telemarketing unificado às 8h, saía às 11h para o almoço, que terminava meio dia. Às 17h estava… Continuar lendo

Memórias de um empurrador de árvore [conto]

Nunca entendi porque a Cláudia não gostava de comer queijo ralado barato. O macarrão podia ser uma massa qualquer de ovos, o molho de saquinho com catchup, a salsicha podia ser qualquer uma,… Continuar lendo

The good times [conto]

A imagem que surge na tela como um estalo mostra um relógio de dar corda marcando sete horas da manhã e despertando estridentemente. No fundo a parede vermelha está descascando. Uma mão bate… Continuar lendo