e-books

Para estar sempre junto do leitor, o AntimidiaBlog organiza alguns contos em e-books. Eis eles.

No auge do anonimato (2017)

No auge do anonimato - Eder Capobianco - Capa Pequena

 Download ePub 
                                               Download Mobi (Kindle)
                                              Download PDF

Esta coletânea apresenta 15 contos que não se relacionam, a não ser pelos personagens anônimos que não vão chegar a lugar nenhum, e nem por isso não tem momentos de emoção e glória em suas trajetórias pela cruel existência. Muito ao contrário, a vida oferece para eles violência, sexo e drogas numa intensidade que o sucesso jamais proporcionaria. A emoção de viver sem expectativas não tem preço.

As narrativas são escorregadias e pegajosas, apresentadas em estruturas simples e curtas, mas nem sempre seguindo os padrões da tradicional literatura da família brasileira. Não porque sangue e putaria transbordam de cada cena, mas porque em alguns casos a espinha dorsal é um tanto quanto torta, em outros o reboco está meio chapiscado e existem também os contos de entranhas expostas.

Julgados pela libertinagem e o vício, é o anonimato que protege esses queridos personagens da crucificação e da justiça moral das massas. O peso de estar numa rotina onde cada dia é um sonho não realizado já é desafio o suficiente para quem não busca paz ou guerra, só sobreviver. O único final feliz que eles podem encontrar é o conforto de estarem protegidos do estouro da manada.

440hz – Rumo à lugar nenhum… (2016)

Incoerência, caos, drogas e violência. Pode-se dizer que esta é a base que sustenta os 28 contos escolhidos para esta coletânea. As estruturas apresentam narrativas simples e curtas, com poucos parágrafos e muitas pedras. A descrença no futuro, o amor à vida marginal e o desprezo social são os alicerces que erguem esta construção, e os tijolos que a revestem foram arrancados e arremessados sem dó na cara do leitor.

Apesar de alguns contos se relacionarem, não há o menor compromisso com a continuidade. O que se tem aqui são pequenos fragmentos de vida que não começam e nem terminam, apenas acontecem como estupro inevitável. A deturpação de conceitos como certo e errado (ou bom e mal) são resultado da super-flexibilização que a Teoria da Relatividade impõe a rotina.

Por fim, a esperança é algo que se mostra apenas como consequência do pensamento, como consciência, e não motivação. Os personagens não buscam paz ou a felicidade, e sim qualquer caminho que os leve a lugares aonde suas depravações e vícios não sejam julgadas como características abomináveis no ser humano. Mas estes lugares não existem.

A vida é uma puta barata! (2014)

Os 22 contos selecionados para esta coletânea transitam entre o nada e o lugar nenhum, viajando pelos espaços da cidade dentro da cabeça de lunáticos e fracassados que provam a cada linha que equilíbrio e conquistas não são suficiente para se chegar a felicidade. São viciados, garotas de programa, empresários, secretárias e todo mundo que tem que enfrentar uma rotina que não se resume a fatos, mas esta banalizada em constante crise e falta de controle. A eterna busca por emoção que motiva cada personagem leva direto à um abismo de questionamentos, que começa com a solidão humana, passa por relações sociais deturpadas e termina em violência. Se na superfície a vida esta uma merda, quando se afunda em si mesmo não se encontra nada que valha a pena. No frigir dos ovos as esperanças não superam as adversidades e a vida continua sendo um fardo que cada um carrega da forma que lhe for melhor conveniente. Para estes personagens não existe final feliz.

As lendas do Bar do Jaime (2014)

O Bar do Jaime é um lugar atemporal, por onde passam os seres humanos mais estranhos e fudidos. As 12 histórias se relacionam pelo ambiente e a personalidade de um dono de bar que não faz muita questão de agradar os clientes, que do seu ponto de vista são problemas em potencial. Há também uma relação entre os personagens, que foram abandonados pela sorte e largados a deriva. Os conceitos de diversão são completamente distorcidos e servem para justificar atos que não se justificariam nem por pura insanidade. O fato é que a vida não vai além de uma noite com um objetivo que só pode ser alcançado pela mistura de substâncias de origem altamente questionável. No geral as histórias vão se encadeando de maneira fluida mostrando que cada vez que alguém entra pela porta é porque acredita que a felicidade pode ser encontrada nos lugares mais improváveis. Por que as vezes é mais fácil conviver com os outros do que consigo mesmo.

Crônicas confusas aleatórias misturadas (2014)

Velocidade máxima + ritmo frenético + conexões improváveis. O resultado desta equação se aproxima da loucura sem nexo do cotidiano de quem não sabe nada e nem tem nada de relevante para falar. Quando o nada se acumula num pequeno espaço vazio do cérebro ele se explode num Big Bang de palavras que se transforma numa metralhadora giratória que atira aleatoriamente sem ver. É um comportamento que não é comum no ser humano, mas esta fortemente presente em cachorros raivosos e bois loucos. Não existe nada escondido nem nas entre linhas. Não há nenhuma preocupação em não ser intransigente ou em ser coerente. A ligação das palavras vem da percepções de quem lê e consegue, de alguma forma, dar significado num aglomerado de frases que aparentemente não tem sentido nenhum. No fim cada texto reflete o caos do cotidiano somado a avalanche de sentimento a que somos expostos a todo momento. Cada um dos 15 fluxos de consciência é um pouco de sanidade e vida impresso na tela do computador.

Qualquer outra informação é possível entrar em contato comigo pelo próprio WordPress ou eder.capobianco@gmail.com.

Anúncios