Conselho para um jovem escritor – Danilo Kiš (1983) [tradução]

Foto Wikipedia - CC

Wikipedia – CC

Conselho para um jovem escritor

Danilo Kiš – Advice for the young writer
Tradução: Eder Capobianco Antimidia

  • Duvide das ideologias estabelecidas e da elite.
  • Mantenha-se longe das elites.
  • Tenha cuidado para não contaminar seu discurso com linguagens ideológicas.
  • Acredite que você é tão poderoso quanto os que estão no poder, mas não meça sua força com eles.
  • Acredite que você pode falhar como os que estão no poder, mas não meça sua resistência com eles.
  • Não acredite um utopias, exceto aquelas que você mesmo cria.

– Seja igualmente duro com as elites assim como com as massas.

  • Tenha consciência tranquila pelos privilégios que a vida de escritor oferece.
  • Não confunda as aflições de sua profissão com opressão de classes.
  • Não seja obsessivo com a urgência da história e não acredite em metáforas sobre “o trem da história”.
  • Não embarque, consequentemente, no “trem da história”, que não é nada senão uma metáfora boba.
  • Mantenha isso em mente: “Quem consegue vencer frustra todo o resto”.
  • Não escreva sobre viagens a países como um turista; não escreva sobre nenhum acontecimento, você não é jornalista.
  • Não acredite em estatísticas, números, em declarações públicas: realidade é o que não se pode ver a olho nu.
  • Não visite fábricas, “kolkhoz”*, obras: progresso é o que não se pode ver a olho nu.
    *Termo russo usado para se referir as propriedades rurais coletivas, estabelecidas na antiga União Soviética. (Fonte: Wikipédia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Kolkhoz).
  • Não se preocupe com a economia, sociologia ou psicanálise.
  • Não siga filosofias orientais, Zen Budista etc: você tem mais o que fazer.
  • Tenha consciência que a fantasia é irmã da mentira, e portanto perigosa.
  • Não se associe com nada: o escritor é sempre solitário.
  • Não acredite em quem diz que este mundo é o pior dos possíveis.
  • Não acredite em profetas, você é o profeta.
  • Não faça profecias, a dúvida é sua arma.
  • Tenha a consciência tranquila: a elite não podem te atingir por que você é a elite.
  • Tenha a consciência tranquila: os operários não podem te atingir por que você é um operário.
  • Saiba que o que não é dito pelos jornais não esta perdido para sempre.
  • Não escreva de acordo com a ordem do dia.
  • Não jogue todas suas cartas num único momento, você se arrependerá.
  • Também não jogue suas cartas na eternidade, você lamentará de ter feito isso.
  • Não se contente com o seu destino, apenas idiotas se contentam com isso.
  • Se contente com o seu destino, você é o escolhido.
  • Não procure justificativa moral para os traidores.
  • Esteja tranquilo com a “absoluta perseverança”.
  • Esteja tranquilo quanto as falsas analogias.
  • Acredite em quem paga um alto preço pela suas inconsistências.
  • Não acredite em quem paga um alto preço pela suas inconsistências.
  • Não promova o relativismo dos valores: existe uma hierarquia de valores.
  • Aceite os prêmios ofertados pela elite com indiferença, mas não faça nada para merece-los.
  • Acredite que a linguagem que você escreve é a melhor linguagem de todas, para você não existe outra linguagem.
  • Acredite que a linguagem que você escreve é a pior linguagem de todas, entretanto você não trocaria ela por nenhuma outra.
  • Não seja servil, por que a elite tratará você como um empregado.
  • Não seja arrogante, por que assim você vai se parecer com os empregados da elite.
  • Não se deixe convencer de que sua literatura é inútil para a sociedade.
  • Não pense que o que você escreve pode ser considerado “útil para sociedade”.
  • Não pense que você ou suas coisas podem ser útil para os membros da sociedade.
  • Não se deixe convencer por eles que por causa disso você é um parasita social.
  • Acredite que suas palavras são mais valiosas do que os discursos dos políticos e da elite.
  • Tenha uma opinião sobre tudo.
  • Não diga sua opinião sobre tudo.
  • Para você suas palavras não custam nada.
  • Suas palavras são as coisas mais preciosas que você tem.
  • Não represente sua nação, quem é você para querer representar qualquer coisa que não seja você mesmo?!
  • Não seja oposição, ou siga junto a elite, você esta abaixo disso.
  • Não se aproxime do governo ou da elite, você esta acima deles.
  • Lute contra as injustiças sociais, mas não faça disso um manifesto.
  • Não deixe que a luta contra as injustiças sociais desvie você de seu caminho.
  • Conheça o pensamento dos outros, e descarte eles depois.
  • Não invente programas políticos, não crie nenhum programa: você cria a partir do magma e do caos do universo.
  • Seja cuidadoso com soluções finais mirabolantes.
  • Não seja o escritor das minorias para as minorias.
  • Assim com a sociedade te questiona sobre você, questione-se sobre o que você esta fazendo.
  • Não escreva para um “grupo de leitores”: todos os leitores são o grupo.
  • Não escreva para as elites, não existe elite; você é a elite.
  • Não contemple a morte, e não esqueça que você é mortal.
  • Não acredite na imortalidade dos escritores, isso é uma coisa sem sentido ensinada pelos professores.
  • Não seja extremamente sério com o trágico, isso é cômico.
  • Não seja um comediante, os ricos estão acostumados a usar eles apenas como entretenimento.
  • Não seja o bobo da corte.
  • Não acredite que sua escrita é a “consciência dos homens”: você já viu muitos filhos da puta.
  • Não deixe que eles te persuadam a acreditar que você não é ninguém: você sabe que os ricos temem os poetas.
  • Não morra por nenhum ideal, e não deixe que ninguém morra.
  • Não seja um covarde e deprecie os covardes.
  • Não se esqueça que o heroísmo cobra um alto preço.
  • Não escreva para festas ou júbilos.
  • Não escreva louvações, você vai se arrepender disso.
  • Não escreva obituários aos heróis da nação, você vai se arrepender disso.
  • Se você não puder falar a verdade – fique quieto!
  • Se afaste das meias-verdades.
  • Quando alguém esta celebrando alguma coisa próximo a você não há razão para você celebrar também.
  • Não faça favor a elite e aos ricos.
  • Não peça favores a elite e aos ricos.
  • Não seja tolerante por cortesia.
  • Não discuta sobre justiça com qualquer um: “não debata com imbecis.”
  • Não acredite que todos tem razão igualmente e que gostos não se discutem.
  • “Quando duas pessoas estão erradas em uma discussão não que dizer que alguma delas esta certa”. (Karl Popper)*
    * Karl Raimund Popper (Viena, 28 de Julho de 1902 – Londres, 17 de Setembro de 1994) foi um filósofo austríaco naturalizado britânico. É considerado por muitos como o filósofo mais influente do século XX a tematizar a ciência. Foi também um filósofo social e político considerável, um defensor da democracia liberal e um oponente do totalitarismo. (Fonte: Wikipédia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Popper)
  • “Admitir que outra pessoa pode ter razão não nos protege de um grande perigo: acreditar que talvez todo mundo tenha razão”. (Karl Popper)
  • Não discuta com idiotas sobre assuntos que eles ouviram pela primeira vez de você.
  • Você não está em nenhuma missão.
  • Tome cuidado com quem está em alguma missão.
  • Não acredite na “opinião científica”.
  • Não acredite na intuição.
  • Tome cuidado com o cinismo, inclusive o seu.
  • Evite ideologias com soluções mágicas e o “lugar comum”.
  • Tenha coragem de dizer que o poema de Aragorn e a glória de Gepeua são uma blasfêmia.*
    *Nota do tradutor: possível menção a J. R. R. Tolkien e a clássica trilogia Senhor dos Anéis (informação que carece de mais pesquisa).
  • Não se deixe convencer que na polêmica entre Sartre e Camus os dois tem razão.
  • Não acredite na escrita automatizada e na “inconsciência consciente” – você busca a transparência.
  • Rejeite todas as escolas literárias que forem impostas a você.
  • Quando o “socialismo real” for mencionado abandone a conversa.
  • Quando o tema da conversa for “literatura social engajada” permaneça em silêncio absoluto: deixe esta discussão para os professores.
  • Aos que compararem campos de concentração nazistas a prisão de Sante* mande-os “caçar coquinho”.
    *Prisão La Sante (França): Esta prisão ficou famosa pela sua falta de condições. Os detidos eram obrigados a viver em celas cheias de ratos e piolhos, e alguns dos prisioneiros ficaram literalmente loucos. (Fonte: Dementia.pt – http://www.dementia.pt/10-prisoes-mais-perigosas-do-mundo/)
  • Aos que disserem que “Kolyma”* foi pior que Auschwitz mende-os ao inferno.
    *Região extrema da Sibéria, Rússia. Durante os anos de governo de Stalin presos políticos ou inimigos do partido eram enviados para lá no campo de concentração de Gulag. (Fonte: Wikipédia – http://en.wikipedia.org/wiki/Kolyma)
  • Como quem disser que apenas pulgas foram exterminadas em Auschwitz – proceda do mesmo modo que com os citados acima.

Aproveitando a deixa, acrescentei mais alguns conselhos de minha parte.

  • Escreva sem se preocupar se você vai ser lido.
  • Não espere por reconhecimento.
  • Saiba que você não é tão bom quanto imagina.
  • Não acredite nos elogios nem dê ouvido as críticas.
  • Respeite todas as opiniões sobre qualquer coisa, mas saiba diferenciar o que é importante do que é balela.
  • Não escreva para os outros. Apenas escreva.
  • Não tente ser polêmico.
  • Esqueça as regras gramaticais.
  • Não se apegue a estilos.
  • Não coloque nenhum tipo de moral como pano de fundo de seus textos.
  • Evite sentimentalismo barato.
  • Não transforme seus textos num reflexo de você. Se quiser fazer isso escreva uma auto-biografia ou monte um blog.
  • Inspiração é lenda.
  • Não se declare profissional em nada.
  • Mantenha sua mente aberta para o impossível e o improvável.
  • Não se explique.
  • Não feche todos os pontos de uma história.
  • Não crie expectativas para o futuro, novas versões para o passado e nem tente transformar o presente.
  • Mantenha uma reputação de imprevisível e instável: de você pode-se esperar tudo, inclusive nada.
  • Não seja sociável nem frequente ambientes de festas ou confraternização.
  • Evite ao máximo expor você ou suas opiniões em público.
  • Não se deixe impressionar facilmente nem seja facilmente influenciável.
  • Não tente impressionar as pessoas nem influência-las.
  • Não tente ser neutro.
  • Não se transforme em um mártir, nem siga um.
  • Fuja do sindicato.
  • Cuidado com puxa-saco, empresários, editores e vendedores de facilidades.
  • Jamais trabalhe para o governo ou políticos.
  • Seja contra o governo e os políticos sem se tornar radical ou adepto da oposição.
  • Não seja radical ou inflexível com nenhum assunto.
  • Não adira ao sistema de copyright.
  • Não acredite em promessas nem tenha esperanças. Não acredite em nada nem ninguém.
  • Não faça promessas.
  • Não dependa de nada nem ninguém.
  • Não torne outras pessoas dependentes de você.
  • Não seja condescendente, complacente ou tolerante com nada que você não concorde.
  • Em nenhuma hipótese escreva sobre um assunto em caráter pessoal.
  • Não dê recados nem mande mensagens através de seus textos.
  • Saudosismo é coisa de pessoas frustradas.
  • Não se preocupe com prazos.
  • Não chore sob o leite derramado e nem cuspa no prato que já comeu ou vai comer.
  • Não pague para publicar seus textos.
  • Não aceite presentes, favores ou facilidades de desconhecidos, ou conhecidos. Nada neste mundo é de graça.
  • Não nade contra a corrente, mas também não se deixe levar por ela.
  • Esteja atento as coisas novas.
  • Não crie personagens estereotipados.
  • Rejeite veementemente rótulos como cool, loser, pop, alternativo, entre outros.
  • Não procure soluções definitivas, elas não existem.
  • Pratique o conceito de duplipensar criado por George Orwell no livro 1984.
  • Nunca acredite que um texto esta terminado.
  • Não tenha vergonha de seus textos, atos, opiniões, muito menos de você mesmo, em nenhum aspecto. Mantenha o orgulho próprio e a confiança sob qualquer circunstância.

Danilo Kiš

Danilo Kiš (Fevereiro 22, 1935 – Outubro 15, 1989) foi um escritor iugoslavo/sérvio. O texto “Advice for the young writer” foi publicado no livro Homo Poeticus, 1983, que consiste numa coletânea de ensaios e entrevistas concedidas por ele.

Fontes

Wikipédia (http://en.wikipedia.org/wiki/Danilo_Ki%C5%A1)
Danilo Kis.org (http://www.danilokis.org/en.htm)

Links

Texto em inglês: http://writingmaniacs.wordpress.com/danilo-kis-advice-for-the-young-writer
Texto em espanhol: http://elpais.com/diario/1985/03/10/opinion/479257215_850215.html