Revolta adolescente contra burrice em massa [crônica]

É muito comum escutar de jovens universitários, com intelectos razoavelmente desenvolvidos, que a mídia em geral não tem credibilidade, nem criatividade. Criticam o jornalismo como um todo sem saber a diferença entre artigo e reportagem. Ressalto o intelecto razoavelmente desenvolvido citado agora pouco. Sim, a maioria sempre esta ligado no tema da novela das oito. Sim, a triste maioria cultua realities shows. Sim, infelizmente a esmagadora maioria não tem noção nem do que esta reclamando.

Poderíamos chamá-los da “turma da desinformação”. Aqueles que idolatram qualquer revista com tendências radicais de esquerda. São poucas, afinal, bancas oferecem “apenas” alguns milhares de revistas e jornais diferentes. Novela boa mesmo só na Globo. Agora eles não vão ver novela? Só porque as produções nacionais beiram o bizarro? Enfim, eles lêem muito. Normalmente livros e autores que não interessam a mais ninguém. Outro dia vi circulando um Manual de Conduta Comunista (admito, tive medo!). Por isso eles se dizem informados. Questionar estas fontes? Não, não, não. Por que não sai na Veja não é bom?

Reclamam da televisão e da falta de opção, mas não conseguem largar o vício. Revoltam-se contra a alienação, e se excluem do bando de alienados. Procurar motivos para protestar e informação de qualidade nunca foi o forte deste pessoal. Pensar também não. Alguns os definiriam como pseudo-intelectuais. Neste caso teriam ter lido Sartre ou Proust, e poucos passaram por Kafka (quem vos fala é um legitimo pseudo-intelectual, e se vocês não estão gostando é por que não entenderam!).

Uma parte considerável, e felizmente não muito grande, brada com orgulho que rejeita a Internet. Coitados. Com estes não acredito que valha a pena discutir muito. Afinal, o que eles vão fazer com opções e Internet? Arriscaria dizer que nada de bom! Nunca fazem nada. Então é melhor que não tenham liberdade ou acesso a informação útil. A outra parte, os “Ciberalienados” reduzem tudo ao MSN e Google. Paciência (que não tenho tido muito por sinal!), You Tube, Orkut, Gmail. E para que mais serve a Web? No Google da até para pesquisar trabalhos da faculdade. Google Academics! Você não conhece? Bah, seu analfabeto funcional.

Entender a prática não é tão legal quanto “viajar” na teoria. Todos nós deveríamos sentar e passar o dia lendo Rosa Luxemburg. Imaginar um mundo melhor e escrever um artigo. Se ler Webber também pode ser até um livro. Com um pouco de Marx da até para conseguir um projeto de Iniciação Cientifica. E fazer o que? Como assim? Escrever ora bolas (ou reescrever?).

Pensar da muito trabalho. Reclamar dos que pensam é muito, mas muito mesmo, mais fácil. Não fazer nada é muito mais cômodo que procurar alguma coisa para fazer. Se eu liderar alguma coisa ai não vou poder protestar contra ela, então não vale a pena. O ideal mesmo é não mudar nada, por que se melhorar o que tem para criticar? Todo mundo deveria fumar maconha e ficar “de boa”, expurgando o mundo de mansinho. Neo liberaizinhos de merda!

Anúncios